Grandes Avanços na luta contra testes em animais !

Ontem, o povo brasileiro deu mais um passo em favor do fim de testes de cosmeticos em animais. O projeto de lei de numero (PL 6602/13), criado pelo deputado Ricardo Izar (PSD-SP), foi aprovado na Camara dos Deputados. Agora, o Projeto precisa passar pelo Senado Federal e, se aprovado, vai para a mesa da Presidenta para que ela sancione ou vete. 

Esse projeto tem diferentes vertentes , e  eu acho importante que você, como consumidora desses produtos, conheça-as bem.

Uma delas é que ficaria proibido a utilização de animais em atividades de ensino, pesquisas e testes laboratoriais com substâncias para o desenvolvimento de produtos de uso cosmético em humanos . Em casos de violação desses termos, multas são cabíveis.

Outra é que os testes em animais continuam possíveis para cosmeticos, mas somente durante  uma espécie de “carência” de cinco anos, em casos de laboratórios que necessitam testar  substâncias “novas”, sem reação conhecida nos seres humanos. Embora muitos ativistas vão se chatear com isso, eu achei essa ressalva um tanto lógica. Seria hipocrisia minha esperar que o modus operandi dessas pesquisas fossem mudados de repente. E não se pode negar a questão do gap tecnologico que vivemos em certos setores, bem como os  perigos em  colocar pesquisas e testes em seres humanos em fast track.

Uma decisão muito importante contida nesse texto de lei  é a inclusão de  processos que possam reduzir o sofrimento daqueles animais que ainda serão usados em pesquisas de remédios ou em experimentos em escolas e universidades. Lembre-se que essas instituições ainda poderão usar os animais ! O texto do projeto de lei diz que  será “vedada a reutilização do mesmo animal depois de alcançado o objetivo principal do projeto de pesquisa”.  Também,  se um animal tivesse de passar por  “sucessivos procedimentos traumáticos”, estes só poderiam acontecer na vigência de um único teste/processo e sobre um unico  anestésico, sendo o animal sacrificado antes que acordasse.

Pode parecer ainda barbárie, mas eu acho que a imposição dessas regras ajuda muito na nossa evolução cientifica. Com essas regras e  a fiscalizacão imposta, logo os  testes em animais vão se reduzindo em volume . A proibição total  dos testes no setor de cosmeticos é um peça fundamental que estimulará outros setores científicos a fazerem o mesmo. E claro,  não só na questão da ética científica está em jogo : o bolso agradece. O mercado dos nossos produtos na União Europeia, por exemplo, vai florescer, ja que a legislação deles proíbe que produtos testados em animais sejam comercializados lá. Em breve, acredito que consumidores conscientes tambem preferirão produtos e serviços que não explorem o sofrimento animal em seus processos.

Não deixe de visitar a   Pagina do Projeto de lei na Camara dos Deputados para saber mais sobre o assunto ! Conhecimento é poder, gente !

l’occitane au bresil no exterior !

 

Eu fiquei muito empolgada quando soube do interesse da marca L’ occitane au Provence em ampliar seu mercado pras terras brasileiras. É uma marca muito sólida e renomada na Europa, que trabalha com produtos de linha mais natural e orgànica e se preocupa com o impacto ambiental desde a sua criação no fim da decada de  1970.

Quando eu vi num stand o lançamento da L’occitane au Bresil alguns meses atrás , eu  achei a ideia muito promissora. Fui, claro, pesquisar a respeito. Segundo o site de divulgação da marca, o fundador Olivier Baussan “encontrou no Brasil um lugar em que a diversidade da natureza e a paixão por viver são encantadoras. Um país que inspirou o nascimento de uma nova marca, feita no Brasil e a nova marca celebra a biodiversidade brasileira em diferentes linhas de produtos de bem-estar e beleza. ”

O mais legal disso tudo? Ontem eu recebi o newsletter da L’occitane inglesa ( eu nunca lembro de arrumar os settings as minhas newsletters e fico recebendo dicas de coisas que não posso comprar )  com o lançamento da linha tupiniquim no mercado internacional. Sério, não é o máximo? Eu achava que a linha seria somente uma facilitadora para que as consumidoras brasieliras se afeiçoassem ao estilo e aos produtos da marca francesa; Acredito que a resposta do nosso publico local, somado ao interesse do público internacional pelo Brasil devido aos mega eventos de esporte, faz com que esse lancamento tenha muito sentido.

 

Video intro da marca feita para o mercado internacional– pagina oficial L’occitane no Youtube

Das resenhas internacionais que tive oportunidade de ler, ainda não vi nenhuma negativa, o que me deixa muito feliz , Se não me engano, todos os produtos da linha são produzidos  no Brasil , o que gera não somente empregos mas também know-how tecnico, já que o brand é muito conhecido pela qualidade e o cuidado para com a produção.

Segundo a empresa,  o plano é que toda a linha L’occitane au Bresil esteja disponivel para as consumidoras internacionais. Por enquanto, só parte da Europa receberá a linha.  Vi os nossos produtos no site inglês,  francês, holandês, portugues, italiano e irlandes da L´occitane , e somente as linhas da Vitoria-Regia, Jenipapo e Mandacaru estão a venda no momento.

Depois dessa, fiquei com vontade de voltar ao stand e fazer uma comprinha !

Já testou a linha brasileira da L’occitane ? Me conte a respeito nos comentarios !

Testei e….. não Gostei.

Esse post quase não saiu hoje por dificuldades técnicas e questões de saúde pública. Mas, pelo bem de todos e felicidade geral da nação (haha), eu digo ao povo que esse post vai pro ar assim mesmo – não dá pra fazer reviews sem uma alta dose de  honestidade  !

Os produtos em questão são da AVON . Acredite, foi uma surpresa pra mim também. Eu gosto muito da empresa tanto devido ao custo benefício dos produtos, como pela confiabilidade que o nome em si  representa. Então, sem delongas, vamos lá :

DELINEADOR LÍQUIDO METÁLICO COLOR TREND – CORES VIOLETA, PRATA, CHAMPAGNE

 

                                                                                                       

Eu não curto delineador líquido . Eu não tenho controle manual pra tanto,e faz pouco tempo que deixei os lápis kohl pelo delineador em gel, que eu adoro . Meu favorito é um delineador da Collection ( antiga collection 2000 na Inglaterra), que é barato, poderoso e eficaz, muito melhor que outros de marcas grandes.  Mas minha mãe tem esse delineador Color Trend em umas 5 cores e eu, olhando os dela na estante, achei por bem dar uma chance.

Ela me disse que achou o pincel muito bom,  a consistência legal pra  quem não possui muita coordenação motora e as cores lindas. Eu escolhi as cores prata, champagne e violeta, todos metalicos, pra testar. Infelizmente, as cores, bem como a fórmula,  são muito, muito aguadas. Testei na mão  primeiro e passei varias vezes o pincel na linha, e mesmo secando entre as camadas, somente a violeta se ressalta. Pensei que, sendo metálico, a cor seria mais intensa, mas me enganei.  Depois, parti pro teste nos olhos.

E foi por isso que as minhas fotos foram pro espaço. Eu percebi  uma certa coceirinha nos olhos  logo com a primeira cor usada. Sim,eu tenho alergias, mas é muito raro pra mim ter reações alérgicas a produtos de maquiagem ou beleza e nunca tinha acontecido antes com produtos Avon.  Todas as cores usadas me deram coceira quase imediata, a ponto de eu  esquecer as fotos, ter de lavar o rosto imediatamente, passar um creminho feito com produtos naturais e tomar um anti-histaminico . A área ao redor dos olhos ficou vermelha  e irritada  que, mesmo após lavada e hidratada, ainda possuia brilhinhos espalhados –  particulas estilo glitter – que acredito são os culpados pela minha alergia.

 

COLOR TREND LÁPIS SOMBRA PARA OLHOS, COR PRETA

 

Esse lápis sombra  eu  vi na revista e comprei logo no seu  lançamento, por meio da minha revendedora. Eu possuo os Jumbo pencils da NYX e acho eles muito práticos pra ter na bolsa ou pros dias de correria em casa mesmo. Comprei  o preto porque achei que serviria como uma boa base pra um smokey eye  e poderia ser usado até como  um delineador on the go.

O color payoff foi bem desanimador. O preto estava mais pra cinza, e mesmo reaplicando o lapis em camadas algumas vezes, a cor não é das melhores. Eu esperava mais desse formato,por causa dos da  NYX , contudo, acredito que esse lápis ainda vale a compra, porque  pode ser usado em maquiagens mais leves , principalmente pelas novatas em maquiagem . Hoje, eu resolvi usa-lo como um delineador. Fiz a linha mais grossinha e rente aos cílios superiores, e como o preto é meio apagado, o efeito ficou sutil como o esperado….. até a bendita coceira comecar.

Serio, 2 vezes na mesma semana com produtos da mesma marca… parece até praga ! Quando eu usei o lápis de base pra uma sombra mais escura (o que fiz 2 vezes), ele ficou longe das “mucosas”, por assim dizer, e eu não tive nenhum desconforto. Hoje, com o lápis rente ao cilios, foi um desatre.

Se eu tivesse de recomendar somente um desses produtos, eu acho que recomendaria o lápis. Mas só se  você não tem problemas de sensibilidade, claro !  O delineador, na minha opinião, é um fail total.

Ah, e uma informação paras as consumidoras conscientes de plantão: a Avon ainda testa parte de  seus produtos em animais, infelizmente. Segundo ela, determinados mercados mundiais – como o chinês- possuem legislação que exige que os produtos sejam testados em animais antes da distribuição pra consumo,e só por essa razão ela permite os testes.

Curtiu? Passou pelo mesmo sofrimento que o meu? Deixe seus pensamentos nos comentarios, porque ainda vou fazer um posto especifico sobre alergias !

Novidades a caminho do brasil

Eu adoro estar por dentro das novidades do mundo dos cosméticos. Mas sabe aquela dorzinha que dá quando você descobre que aquele produto super legal NUNCA vai estar nas prateleiras brasileiras? Pois é, a diversão acaba quando você faz as contas das comprinhas + frete + imposto. Andei olhando coisas lindas ontem, mas fiquei desanimada pensando o quão dificil seria colocar minhas mãos nessas belezinhas.

Então, ao invés de ficar me lamentando, eu resolvi ir atrás de produtos que as grandes  marcas  lançaram e  que podem chegar às prateleiras do Brasil em breve. Assim, podemos cobiçar as novidades e ir juntando uma graninha pra adquiri-las ! Aqui estão alguns que eu encontrei :

MAYBELLINE BLEACHED NEONS

Como na Europa o verão já está virando a esquina, a Maybelline lançou recentemente novas cores para seus produtos mais vendidos. Alguns deles ainda não desembarcaram no Brasil (como os balms Color Whispers), mas dos produtos que já conhecemos, fiquem ligadas: há chances das duas novas cores das sombras Color Tattoos chegarem aqui , além das novas  cores dos esmaltes Color Show. Eu tô apostando nos esmaltes, já que as Color Tattoos disponíveis no Brasil ainda são poucas.

                                               

Display da nova linha nos EUA crédito- Blog Nouveau Cheap  

Os esmaltes,pra quem ainda não experimentou, tem um formula muito boa, com pegada gel e cores lindas. Na Europa, a parceria dessa produção Color Show foi feita com a Colorama , então  voce sabe que tem qualidade!

  

MAC – COLEÇÃO ‘MALÉVOLA’

A  MAC Cosmetics garantiu que vai ter Malévola no Brasil, isso todo mundo sabe. Os produtos estarão disponíveis a partir da segunda quinzena de junho, segundo a acessoria da marca. Agora,  o que ninguém sabe afirmar é o segunte :  todos os itens estarão disponíveis na lojas brazucas? Dei uma de ingênua e fiz essa mesma pergunta numa loja MAC . A resposta? Ninguem sabe.Sendo uma coleção limitada e pelo fato de estarmos no Brasil, sabemos que a quantidade colocada à venda  aqui será frustrante – acho que vai ter briga pra conseguir o novo icônico batom vermelho True Love´s Kiss

Mas não se chateie ! Quer boas notícias int As sombras da paleta, o lápis de boca , o Prep+Prime, o lapis de sobrancelhas, os cílios, o pó e até 2 dos esmaltes da coleção pertencem à linha PERMANENTE da linha ! Passando o frenesi da novidade, você poderá comprar aquilo que lhe agradou mais por um preço mais camarada. Todo mundo sai ganhando.

Se você está se perguntando sobre a coleção da Lorde , que tem cores ótimas pro nosso outono-inverno, ainda não se sabe se desembarcará em terras tupiniquins.

                 

credito-  assessoria da marca

L’OREAL TOTAL REPAIR 5  DAMAGING  ERASING BALM

Se tem um produto que ficou famoso no boca a boca das beauty bloggers e youtubers mundo afora, esse é o Balm de reparação da L’oreal, que faz parte da tinha Total Repair 5. Você até pode estar pensando na linha Total Reparação 5 que a lindinha da Massafera representa aqui no Brasil, mas vai por mim, os produtos não são os mesmos. Aliás, os produtos da linha Elsève vendidos aqui em nada se comparam aos seus parentes de fora do país.

                                  

credito – target.com

A fofoca é que esse produto, bem como as outros produtos dessa linha mais ‘expert care’  podem ser lançados no Brasil em breve, devido ao seu sucesso.  Outras linhas da Lóreal, como a Ever Pure  e Ever Rich –  sem sulfatos, sal e veganas – também podem vir para cá pra comercialização em lojas especializadas. Quem conseguir por as mãos em alguma dessas, aproveita, porque são realmente incríveis. Duvida? O que mais tem  na rede são videos e posts de glórias a esses produtos, porque são encontrados na farmacia mas tem qulaidade de produto de salão.

MAYBELLINE BABY LIPS

Mal chegaram por aqui e o pessoal já está pensando quando é que as novas coleções  vão desembarcar !

                          

credito – assessoria da marca

No Brasil, foram lançados somente 6 – 3 coloridos e 3 incolores que possuem FPS 20. Nos EUA, por exemplo além desses 6 básicos, existe uma coleção com 6 balms de  toque Neon (Electro lip collection), uma linha saindo do forno com  6 cores primaveris (Pink’ed collection), e uma coleção Dr Rescue, que promete mais cuidado e hidratação com  o plus de 6 cores.  Eu gostaria de comprar um da linha neon, e  tô torcendo pra essa linha Dr Rescue chegar logo por aqui, porque ele dá um certo alívio aos meus lábios ressecados.  Os outros Baby Lips são bem medianos no que concerne hidratação, na minha humilde opinião. Meus balms favoritos são os do  Burt Bees e da Blistex. Aqui no Brasil, os balms da Nivea são a minha escolha.

Vou ficando por aqui. Prometo trazer outros produtos a caminho do Brasil em breve !  Deixem suas dicas e perguntas nos comentários !

as meninas sequestradas na nigéria

 

           

Ontem, finalmente, o governo nigeriano assumiu a veracidade do sequestro de meninas nigerianas e pediu ajuda  resgatar  mais de 270 meninas sequestradas  há agumas semanas de dentro de uma escola em Chibok. O crime, cometido  pelo grupo islâmico Boko Haram, foi planejado de forma  a roubar as meninas da escola que frequentavam e leva-las  para areas islâmicas da Nigéria, Chade e Camarões onde, segundo relatos locais, estão sendo vendidas como escravas ou forçadas a casamentos com islâmicos radicais.

O grupo reinvidica o abandono do modelo de educação ocidental em todas as frentes, especialmente para as mulheres. Mas por que ?

Pense comigo: mulheres que recebem educação formal –  aquelas que vão a escola e terminam o ensino secundario – são mais bem informadas sobre o mundo, seu corpo e sua saúde, sabem ler e interpretar o que lêem, tem condições de conseguirem empregos melhores. Segundo o pessoal do Girl Rising, que , aliás, tem um documentario super legal que eu recomendo, a educação de meninas entre 8 e 15 anos é o investimento mais lucrativo da atualidade. Meninas que vão a escola são importantes para quebrar o ciclo de pobreza e  impactam não só as comunidades  onde crescem , mas a economia ao redor.

Muitos grupo tem receio desse empoderamento de mulheres, porque significa dizer que muitos perderão posições de poder na sociedade em que vivem. Grupos radicais como o Boko Haram sabem que mulheres  mais eruditas e independentes não são atraídas pelo estilo de vida que levam. Desse modo, a subjugação feminina continua para que eles continuem a liderar não só na vida privada como também na pública. Muitos grupos ao norte da Nigéria, de maioria islâmica, vêem sua posição diminuída frente a um país de maioria cristã , e  tem aumentado os confrontos contra o governo nigeriano. O país sofre com questões de cunho territorial – grande número de tribos de habitos diferentes convivendo no mesmo local –, questões econômicas e políticas que só reforçam o inconformismo dos opositores e provoca aumento desses atos de terrorismo. O governo se mostrou  fraco e incompetente pra lidar com  aumento do fundamentalismo e atos terroristas, e, no caso do sequestro, e o fracasso no resgate enfureceu ainda mais a população.

Não se engane com a conotação religiosa, porque a subjugação feminina é anterior a questões de crença, embora exarcebadas por ela.

Então, quando você, leitora, estiver na escola, faculdade, cursinho etc e tal, pense no seu privilégio de poder ter uma educação formal. Não subestime o poder que o seu conhecimento pode trazer para a sua familia, comunidade e para sociedade em geral. Não deixe nunca de aprender, nem de investir  e de incentivar melhorias na   educação.  Estatísticas dizem que 1% a mais de meninas  de baixa renda matriculadas e estudando podem gerar um aumento de 15 % nos ganhos da economia do país. A nossa educação é, sem dúvida, o investimento de maior retorno para as nossas vidas.

Precisamos apoiar os movimentos para a volta das meninas de Chibok – vamos torcer para que todas retornem aos seus lares e possam tocar suas vidas com dignidade.

a base do preconceito

                         

Você, como boa brasileira que é, já deve ter reparado que o preconceito racial ainda é uma triste realidade por aqui. Eu, que ja estive em diferentes lugares do mundo, posso dizer a você que o preconceito contra peles mais escuras não é privilégio nosso.

O tema do meu post de hoje foi inspirado em uma situação que presenciei tempos atrás, em uma loja de brodutos de beleza no exterior. Eu e uma amiga indiana fomos dar uma volta na rua e acabamos na lojinha. Essa minha amiga, que é bem jovem e moleca, não curtia muito maquiagem, mas estava disposta a se apresentar melhor e resolveu escolher alguns produtos.  Em um dos stands de uma marca famosa, a atendente foi super simpática em demonstrar os produtos, mas era bastante ignorante no que concerne pele étnica. Eu tive de literalmente impedir essa minha amiga de levar a base indicada a ela.  Dias depois, eu resolvi fazer um  teste em um outro stand. Me fingindo de ingênua, fui fazer o color match pro meu tom de pele em 3 dias diferentes. Fui atendida por 3 pessoas diferentes e, claro, recebi 3 avaliações de cores completamente diferentes.

Sabem o  pior ? O teste de cores era feito com uma maquina super moderna. Uma das moças que fez o teste, achou por bem refazer o teste em uma das vezes, disse que a cor parecia escura demais pra um moça como eu. Quando eu disse que era brasileira e que a cor mais escura talvez fosse a melhor pedida, ela mesmo pensou melhor sobre a questão da mistura étnica e ficou confusa. Ignorância – ou seja, falta de conhecimento técnico – parece ser hoje o maior adversário contra peles étnicas. E olha que eu  sou o que se chama de morena “clara” ! Ficou claro pra mim que o preconceito racial também está, literalmente, na base da nossa maquiagem.

O que me espanta é que, no século XXI, algumas empresas ainda se recusem a investir na ampliação da cartela de cores de modo a abraçcar melhor as peles étnicas – morenas, negras, indianas, latinas e etc  – , especialmente quando o retorno financeiro é certo e o público é imenso.  Uma editora de beleza contou em uma matéria na Marie Claire ( leia na íntegra aqui )  que esteve em 2011 em um evento de uma marca famosa de maquiagem,  que lançava um produto em pó super tecnológico. Apesar da inovação e de ser apresentado como compátivel a todos os tons de pele,  o produto só contava com 3 cores – claro, natural e médio. A representante não soube explicar o porquê da limitação e deixou os formadores de opinião um tanto constrangidos com o descaso.

A primeira (e das poucas ainda em produção) linha de maquiagem desenvolvida  pra negras, a Fashion Fair chegou ao mercado nos EUA somente na década de 70. Até então, mulheres não-brancas eram esmagadas não somente  pelo padrão estético caucasiano, mas também pelo uso de cosméticos que desfavorecem a beleza étnica.  Até 10 anos atrás, produtos e cores pensadas para pele negra ainda eram exceção nas grandes multinacionais de beleza. A indústria de cosméticos em geral ainda apela a um ideal de beleza que reprime ao invés de libertar as mulheres mundo afora, vocês não acham ? E por que isso existe?

Em resumo, racismo é a resposta. Racismo é  a convicção de que determinadas caracteristicas biológias, fisicas ou culturais  de determinado grupo são superiores a de outros. Sua função é determinar posições de poder, e essas posições ficam enraizadas e são passadas em sociedade por inúmeras práticas corriqueiras. No mundo atual, onde cada vez mais bebês são nascidos de diferentes etnias, onde mais da metade da população dos EUA será mulata até 2050, não temos mais tempo a perder com racismo e limitações à expressão étnica de cada um ! Já é tempo das grandes marcas de beleza pensarem mais como enriquecer a experiências cosméticas trazendo mais cores para suas bases.

Muitas companias ainda se fizam no problema de pesquisa e custos de produção para produtos étnicos. Segundo Terry Barber, diretor artístico da MAC, explica que as bases de tons claros podem são menos laboriosas de produzir e até mesmo de combinar tonalidades prontas pra cehgar num determinada cor de pele. Muitas  peles de tonalidade morena e negra não conseguem misturar tonalidades prontas sem que elas fiquem cinzas ou barrentas , o que exige um mix de cores muito maior na produção. Incentivo econômico (ou falta dele) é a maior desculpa pra alguns, mas esse fator de altos custos não pode ser levado muito a sério. Marcas especializadas em peles escuras  nos EUA como  Iman Cosmetics, Black Radiance, Opal, Posner são todas vendidas em farmácia, com preço competitivo. Falar menos e fazer mais, que tal ?

Hoje, há motivos pra se alegrar. A  L’Oreal Paris, por exemplo, adicionou 9 cores a sua paleta de bases True Match recentemente, a fim aumentar sua lista de consumidoras pelo mundo. A demanda por produtos MAC na Africa e Oriente Médio levou a compania a pensar em tonalidades que harmonizem com esse novo perfil de consumidoras, e tem produzido especificamente pra região.  A Yves Saint Laurent está adicionando novas cores a sua base  carro-chefe Touche Eclát, e disponibilizou detalhes da pesquisa de 9 anos feita para que as 20 e tantas tonalidades dessa base consigam alcançar uma grande variedade de tons de pele.

O Brasil está entre os top 5 maiores mercados consumidores de beleza no mundo. Aqui, tonalidades mais escuras sempre fizeram parte do ‘cardápio’ dos produtos, mas ainda faltam opções, especialmente nos tons mais escuros. Assim como no exterior, investimento  e boa vontade de marcas grandes para a ampliação da  gama de cores ainda é imperativo. No país da diversidade, a maquiagem pra peles étnicas deveria ser regra.

Deixe nos comentários suas experiências, dicas e reclamações sobre esse problema das cores de base. Indicações são sempre bem vindas !

Bom, bonito e barato – cabelos

Essa é mais uma série que eu sempre achei relevante desde os tempos que eu lia o blog Vende na Farmácia ? – adoro dicas de produtos BBB . Afinal, seja por necessidade ou curiosidade, todas nós adoramos produtinhos baratos e eficientes, especialmente se pudermos encontra-los na esquina de casa !

Eu vou começar por produtos para cabelos porque são os que eu mais experimentei nesses ultimos meses. Vamos lá :

Garnier Fructis Linha Óleo Reparação e Linha Reidratação 72 horas

credito-  site oficial da Garnier

Eu nunca fui muito fã dos produtos Garnier , mas devo confessar que essa linha Óleo Reparação é mesmo muito boa. Eu ia viajar, e acabei comprando devido ao tamanho reduzido da embalagem e mais nada. Felizmente, me surpreendi – gostei do cheiro, da limpeza e da hidratação . Meu cabelo nunca ficou tão macio !  Eu também adorei a maciez proporcionada pelo condicionador da linha Reidratação 72h. Minha combinação ideal hoje é o Shampoo Óleo Reparação com o Condicionador 72h, porque a maciez e o brilho ficam mais intensos.  Como consumidora consciente, o que me deixa ainda mais feliz sobre esses produtos é o esforço da empresa para com a redução de CO2 –  A Garnier diminuiu os frascos e com isso, gasta menos plástico e  impacta menos o meio ambiente.

É pouco, mas já é alguma coisa. Você encontra essas informações agora  na parte de trás do produto, numa etiqueta dedicada .

Eu comprei os produtos por cerca de R$ 5 reais cada,  recentemente.

 

Coloração pra cabelos  Cor&Ton, Niely

crédito – Blog da Beleza Niely

Eu pinto os cabelos há mais de 15 anos, e  acredito já ter usado todas as tonalidades da tabela de cores. Recentemente, eu soube pela minha mãe que a Niely tinha contratado engenheiros quimicos  internacionais para  trabalar na empresa aqui no RJ , a fim de fortalecer a qualidade e eficácia dos produtos. Com isso na cabeça – e com pouco dinheiro no bolso, confesso- , eu acabei comprando o Cor&Ton pra retocar a raiz dos cabelos. Sério, adorei o efeito. Muito mais iluminado  e perfumado que a coloração da Wella  que eu usei na vez anterior e, convenhamos,  custou a metado do preço. Recomendo.

Paguei menos de R$ 10 reais no kit,  e ainda ganhei de brinde  um creme de pentear Niely Gold,  que eu uso de condicionador de vez em quando (que foi pra mim a melhor opção, devido ao  meu cabelo oleoso ). Hidrata muito bem.

Seda shampoo e condicionador Pro Natural Beleza Refrescante

                                                                 

credito – site oficial Seda

Dos produtos Seda, eu só gosto mesmo dos da linha Pro natural ( Só tem 3 tipos, e a embalagem é diferenciada, com desenho de ramos e folhas na etiqueta – cuidado ao escolher). Esse Beleza Refrescante é super indicado pras amigas que sofrem com cabelos mais oleosos , como eu. Além da sensação de limpeza, a hidratação é muito boa. E sempre tem promoção deles nas farmácias e lojas e supermercados pelo Brasil, o que faz dele um produto ainda melhor.

Eu paguei cerca de R$ 5 reais da ultima vez que comprei o condicionador.

Gostaram das dicas? Fiquem à vontade de deixar suas dicas de produtos BBB para cabelos  nos comentarios ! Até a próxima !

Thigh Gaps ?

Eu descobri, lendo o blog da Caroline Hirons ( especialista em cosméticos de Reino Unido e sumidade no consumo consciente – site dela tá listado aqui na barra direita do blog ) ontem, que a última moda entre as adolescentes poi aí  é o thigh gap , o que significa literamente ter um espaço entre as coxas. Ela ficou sabendo por meio da filha como as coleguinhas de escola entraram nessa doideira de invejar meninas que tem esse espaço e o que elas fazem para consegui-lo.

                                                                          

Então, pra resumir, se  a suas coxas “roçam” uma na outra, você, minha amiga,  está fora das tendências de moda. Sério. Essa mania, que já foi requentada algumas vezes ao longo das décadas,  já pegou de tal forma que existem  sites especializados que te ensinam como alcançar esse espaço ; as redes sociais só ampliam o problema – vide o hashtag  “thinspiration” no Twitter, Instagram  e Pinterest . Argh.

A minha vontade aqui é de dizer um palavrão. Então, fiquem à vontade pra inserir aqui aquele da sua preferência  : ………..…….

Se você, leitora, está considerando esse tipo de prática, por favor, deixa essa maluquice pra lá. Por que isso é mesmo fruto de falta de conhecimento, é só mais uma das inúmeras ilusões de ótica determinadas pelo mercado.  Tigh gaps são uma questão de genética. Ponto final.  Algumas meninas as possuem naturalmente a uma certa idade ou  peso; outras nunca a terão.

Nós, brasileiras, povo fruto de uma linda mestiçagem, somos geneticamente abençoadas com mais curvas e não há por que ou como lutar contra esse fator biológico. Fora a questão genética, a única maneira de você alcançar essa vaga entre as suas coxas é perder peso, mas muito peso, e não fazer exercícios . Atletas olímpicos, corredoras de alta performance e nadadores, por exemplo, tem peso super controlado, corpos magros e  esbeltos  e não possuem espaços entre as coxas. 

Sabe quem tem thigh gaps de sobra ? Anoréxicas e crianças desnutridas da Africa Central .

Alguém é capaz de perceber a ironia ?

 O site  Thrive, by Jen Sinklertem um post bem explicativo sobre as questões estruturais do corpo feminino que tornam o thigh gap uma opção impossível pra maioria, o que inclui questões de composição óssea, tônus muscular e outras cositas más. Ela lançou  no  blog uma campanha com o hastag #closethethighgap , onde pessoas celebram a boa forma física e as curvas que possuem, rejeitando essa estética “sem carne, só osso”.

credito: robynlawley.com.au

A modelo Robyn Lawley, uma das mais lindas modelos do mercado, é hoje incluída na categoria plus size ( Plus size no mundo das passrelas signica ter manequim 42 pra cima , okay int Serio, é o cumulo do absurdo) por muitas assessorias de moda. Depois de uma foto caliente postada por ela no seu perfil no Facebook , Robyn foi bombardeada de críticas devido a seu peso e pelo fato das suas coxas se  encontrarem. Ela respondeu às criticas postando que

“Vocês ficam aí sentados em frente ao computador insultando, julgando e transformando meu corpo em um objeto, sem sequer tê-lo visto em carne e osso. Felizmente, milhares de  pessoas respeitam o meu corpo e a minha forma, e eu viajo o mundo mostrando o conceito de que ser bonita é ser saudável, e digo que a verdadeira aceitação deve vir sempre de dentro, e não dos comentários que as  pessoas fazem no seu perfil do Facebook.”

Olhem as fotos aí acima. Achou ela plus size ? Mostre as fotos, agora , pra qualquer marmanjo à sua volta e eu duvido que ele  diga que essa mulher é feia, gorda ou  fora dos padrões. Nós devíamos é ter mais gostosas como ela nas capas de revistas e editoriais. Ela agora lidera uma campanha contra o thigh gap, e foi entrevistada pela Cosmopolitan australiana  sobre esse assunto na edição de março desse ano. Vale a pena uma busca online.

Depois dessa pequena explicação, eu peço a vocês que pensem mais sobre esse tipo de imposição estética. Se vocês levarem em conta o conceito de custo x beneficio, fica claro que perseguir esse modelo causa mais custos a sua saúde do que benefícios a sua autoestima. Eu sugiro que vocês questionem sempre essas imposições estéticas e vejam os beneficios e custos de cada uma. Com isso , espero que consigamos, de forma consciente, escolher sermos  a melhor versão de nós mesmos,sempre. Não deixemos que nos  julguem ou nos objetifiquem por uma coisa tão estúpida quando o espaço entre suas coxas.

                                                                                             

Deixe suas opiniões e experiencias com essas “tendências” nos comentários !

Review– Smoothing day creme, the body shop

Eu prometi um review detalhado, e aqui vai  o primeiro:  Apresento  a vocês o  Smoothing Day Creme, da  linha Nutriganics do The Body Shop.

Segundo o press release da própria empresa, a linha Nutriganics tem como público alvo mulheres acima dos 30 que desejam melhorar a aparência da pele que mostra os primeiros sinais de envelhecimento. A linha combina óleo de babassú obtido com práticas de comércio justo e mais 14 ingredientes orgânicos. Não contém nem parabenos nem silicone.

                                

Ele é um creme super leve, de cor branca,  com aroma de plantas bem sutil e poder de hidratação digno. É digno também no preço: a embalagem tem 50 ml  e custa £13 libras,  que dá cerca de R$45 reais. Eu gostei especialmente do toque do produto na pele,  porque eu tenho  pele oleosa e, como todas, odeio a sensação de resíduos  na pele .

Quando fiz uso desse creme pela primeira vez (quando morava na Inglaterra), minha pele estava bem seca e desidratada e  não achei que a hidratação oferecida fosse suficiente. Eu curti mais o creme noturno no primeiro mês de uso da linha , mas não desisti do produto.  Conforme meu corpo se adaptou melhor ao clima, percebi que minha pele tornou-se mais viva e hidratada com o uso frequente .  Eu trouxe 2 vidros comigo pro Brasil, e percebi que aqui, num  clima mais úmido e quente,  o creme se portou muito melhor na  pele que antes.  Acredito que as brasileiras de pele mista /oleosa adorariam esse creme. Para as leitoras de pele  mais seca  e sem viço, o The Body Shop tem outros produtos pra você.

No que concerne as características anti-envelhecimento, posso dizer que  tenho pouquíssimas linhas de expressão ou marcas de idade, então, pra mim, ele é suficiente para tratá-las no momento. No entanto , se você possui ruginhas mais acentuadas ou pele mais envelhecida, eu não recomendo –  invista em algo mais específico, com Retinol  ou  DMAE, por exemplo .

Se você clicar AQUI poderá ver a lista (em inglês) de ingredientes e agentes perigosos  contidos  nesse produto ( não se preocupe, ele não contém itens tóxicos). Aliás, o site do  Environmental Working group, possui um arquivo incrivelmente útil de cosméticos importados –Skin Deep cosmetics database –  com ranking dos produtos mais seguros . Lá, eles também listam os ingrediente de todos eles e explicam a toxicidade de cada um, a fim de  que você veja exatamente o que as empresas andam colocando no seu batom ou creminho favorito. Aconselho a visita !

Se o The Body Shop trouxer sua linha de produtos faciais pro Brasil ( o que promete acontecer em breve, agora que ela é dona de parte da marca Empório Body store, ), eu certamente compraria esse creme mais uma vez, porque ele é um bom produto pra uso diário. Eu já encontrei hidratantes melhores pra minha pele, contudo nenhum que combina o tratamento anti-idade e o fato de ser organico.

Alguém aí já usou o Smoothing Day creme ?  Curtiu ? Quer ver outros reviews ?  Deixe sua opinião ou dica  nos comentários !

Review –The body SHop

Esse é o primeiro review do blog !

Eu pretendo fazer  não só reviews de produtos específicos, mas também reviews de marcas/brands , mostrando como as empresas de beleza  trabalham, sua missão e público, qualidade e tecnologia da produção,  responsabilidade  social e ambiental, etc etc Desse modo, acredito que vocês poderão fazer suas escolhas de consumo de maneira mais responsável .

Minhas razões para abrir os reviews com  a marca britânica The Body Shop são essas:

  • Testei extensivamente vários produtos da marca nesses últimos 02 anos;

  • A empresa é famosa linha de “comércio responsável”  e se orgulha de não testar produtos em animais;

  • A parceria com comunidades locais – prática de comércio justo – para extração consciente de matérias primas;

  • A recente venda da marca para o conglomerado da L’Oreal é uma das maiores polêmicas do mercado.

                                                                                  

                                                               crédito – The Body Shop UK website

Eu sou uma pessoa que possui diversas alergias alimentares, mas que não costuma ter reações relacionadas a produtos de higiene ou beleza. Recentemente, enquanto  vivia na Inglaterra, eu tive um período de adaptação dificil no que concerne a minha saúde em geral, especialmente porque morava numa cidade bem ao norte do país, onde o frio é a regra. Foi aí que eu decidi trocar todo os produtos de limpeza e hidratação da pele por produtos do The Body Shop. Eu testei os produtos comprando as embalagens mini pra viagem, e pedindo amostras na loja local. Testei, aprovei, e curti bastante varias caracteristicas da marca.

Primeiro, a marca tem um custo benefício ótimo (precinho era mesmo super camarada, principalmente nas compras online) pra quem gosta de coisas legais  mas não pode gastar muito. Outra, desde a sua fundação há trinta e poucos anos atrás, eles sempre persistiram na manutenção de cinco valores:   matérias-primas adquiridas através do comércio justo com as comunidades extrativistas; luta pelos  direitos humanos;  valorização da autoestima;  proteção do planeta, e a proibição de testes em animais. Seja por  meio de lobbying , educando o seu público consumidor , participando de  ações concretas , o The Body shop é uma empresa engajada. Junto com o PETA, Cruelty Free International e outras organizações conseguiram um importante marco :  desde 2013, nenhum tipo de cosmético vendido na União Européia pode ter sido desenvolvido com ajuda de testes em animais ainda que esses testes tenham sido feitos fora da região. No Brasil, o projeto de banir os testes existe na PL 6602/2013, mas anda a passos lentos. (tema para um post futuro, talvez ?)

O uso de extratos de produtos naturais na formulação é outro plus. A empresa se intitula 100 % ecológica alguns produtos são certificadamente orgânicos, outros não. Contudo, no portfolio da The Body Shop, os extratos naturais estão entre os 3 ou 5 ingredientes principais na formulação dos produtos , o que enfatiza essa pegada consciente que a marca preza.. Ainda, esse tipo de matéria prima é adquirida por meio do chamado comércio justo. O que isso significa?  Significa que a empresa faz uso de  comunidades extrativistas locais, que já tradicionalmente trabalham com aquele produto base, e investem no empoderamento e na capacitação desse pessoal. Esse é  a consequência do programa Trade, not Aid, criado pela marca  em 1987. No Brasil, por exemplo, a empresa compra óleo de babassú de uma cooperativa no Maranhão composta inteiramente de mulheres. Com essa troca comercial, defendem a floresta em pé, ajudam no desenvolvimento social de comunidade e movimentam a economia local. A empresa também aposta no empoderamento feminino ,e  por meio da sua fundação social própria,  financia projetos relacionados ao redor do mundo. Se você lê bem em ingles, recomendo  clicar aqui e ler a respeito do empenho da empresa nas questões de direitos das mulheres.

                                          

                                Crédito – The Body Shop UK website. Catadora de babassu , Maranhão.

Dos produtos mais famosos da The Body Shop, vocês já deve ter ouvido elogios para com as manteigas corporais – body butters- cujas bases  são  a manteiga de karité, óleo babassú, manteiga de cacau e óleos aromáticos diversos naturais. Eu já testei as de castanha do Pará, a de Bakula (toque oriental) , karité e a de Limão, todas muito hidratantes e com aromas deliciosos. Recomendo. Já usei o gel pra banho ( que seguem os  aromas das butters),  gel de limpeza pro rosto e produtos da linha de hidratação para os pés, e digo que  são todos muito eficientes. No quesito cuidados para a pele, recomendo a  linha Nutriganics, única que é certificadamente orgânica na empresa e da qual  uso  o hidratante diário e o creme para olhos, e também a coleção com Vitamina C.

Mas não se engane, a marca  não faz uso de produção orgânica ou vegana. Ela é simplesmente mais consciente dos produtos na sua linha de produção.

Bom,  todo o conceito  de economia ética da The body Shop  parece muito bom no papel . Será tudo isso verdade ?

Como parte do seus planos de responsabilidade social, os relatórios de desempenho e as prestações de conta estão abertas ao público no site da empresa. Infelizmente,muitas desconfianças hoje envolvem a empresa, após sua venda para a L’Oreal em 2007. Questões como  qualidade dos produtos, comprometimento ético e o empenho com práticas de Comércio justo do The Body Shop tem sido colocados em xeque não só por consumidores como também por empregados e especialistas. A Nestlé – que é dona de quase 30 por cento do conglomerado L’Oreal, foi votada por internautas como a empresa mais irresponsável do mundo, e o simples anúncio da venda da marca pra uma empresa tão irresponsável chocou milhares consumidores, que passaram a boicotar abertamente  o The Body Shop. Alguns consumidores notaram novas concentrações  de ingredientes químicos “violentos”  em certos produtos. Ainda, inúmeras pessoas associadas às duas empresas já relataram em sites, foruns e entrevistas o descaso da L’Oreal em manter os acordos relacionados ao empoderamento de comunidades extrativistas e a proibição de testes em animais. O selo “cruelty free” , a maior bandeira  da The Body Shop, hoje é colocada em dúvida por  seus próprios funcionários, frustrados com as politicas do novo conglomerado.

                                                                                                                      

Documentos e testemunhos sobre a qualidade dos produtos base, falhos protocolos de segurança e supostos testes em animais feitos fora da União Européia , além de descaso com consumidores e com suas franchises  foram divulgados na rede nesses ultimos anos. Consequências diretas da aquisição? O que me  parece claro, levando em conta o histórico ativismo da empresa e o atual  declinio nas vendas, lucro e na satisfação dos clientes ,é que quem sai perdendo somos sempre nós, consumidoras conscientes. Vamos torcer para que a L’Oreal aprenda e adote os valores eticos e ecológicos da The Body Shop nas suas relações comerciais e socias.

Aguardem reviews detalhados dos produtos The Body SHop !